7 de abril de 2009

Sukhoi Su-47

O Sukhoi Su-47, anteriormente conhecido como S-37 berkut, é um caça, com comandos de vôo fly-by-wire. Isso significa que o piloto define a manobra e um computador a bordo escolhe a melhor forma de executá-la.

Berkut significa águia dourada, em russo. O primeiro vôo do Berkut foi em setembro de 1997, com a designação S-37 ainda. O primeiro estágio dos testes de vôo foi completado em 2001. Algumas das características usadas no SU-27 (Flanker, pela OTAN) foram utilizadas também no Berkut, como o canopy (carlinga), trens-de-pouso e cauda dupla próxima do vertical.

Este caça possui asas FSW (Forward-Swept-Wing), sendo facilmente reconhecido por esta característica. Asas FSW significam que são "enflechadas" no sentido contrário ao usual, ou seja, para frente. Este conceito de asa já é estudado há muitos anos pelos projetistas de caças, mas somente nos anos recentes, com o emprego da computação na correção dinâmica do vôo, é que pode ser utilizado de forma realmente prática. Asas neste sentido proporcionam grande manobrabilidade mesmo em baixas velocidades, próximas ao do "stall" (estol). Todavia, sem uma correção assistida, ela se torna perigosamente instável sob certas condições. O uso de materiais compostos para a diminuição da esteira de turbulência gerada pela asa também foi um avanço que possibilitou a construção do SU-47.



Ao se comparar um par de asas invertidas como as do SU-47 contra um par de asas comuns, de mesma área, encontram-se algumas vantagens: Maior sustentação, maior alcance sub-sônico, maior capacidade de manobra, maior resistência ao "spinning", menor velocidade para o "stall", estabilidade maior em ângulos maiores de ataque e menor espaço de pista requerido tanto para decolagem quanto para a aterragem. Asas neste sentido conferem ao Berkut extrema capacidade de manobra em velocidades subsônicas, podendo mudar rapidamente o ângulo de ataque e a linha de seu vôo. Esta capacidade é essencial para a superioridade aérea, pois abre mais possibilidades no lançamento dos mísseis/bombas e no disparo do canhão.


O piloto do Berkut pode rapidamente mudar seu alvo, engajando em outro tão logo tenha feito o disparo contra o primeiro. A possibilidade de curva rápida também é fator importante para a aquisição de novos alvos.

Os painéis das asas do Berkut são constituídos em 90% de materiais compostos. A estrutura da fuselagem é, predominantemente, composta de alumínio e titânio, mais 13% de materiais compostos.


Dados técnicos:

* Comprimento: 22,6 m
* Envergadura: 16,7 m
* Altura: 6,3 m
* Peso: 24.000 Kg
* Peso máximo de decolagem: 34.000 Kg
* Motores: dois Lyulka AL37-FU de empuxo vetorizado
* Potência: 83,4 Kn
* Com afterburner: 142,2 Kn
* Alcance: 3.300 km
* Taxa de subida: 230 m/s
* Teto de serviço: 18.000 m
* Velocidade máxima: Mach 2 (Mach 1,1 ao nível do mar)



Armamentos

* Canhão 30 mm GSh-30 com 150 tiros
* Mísseis: Possui 14 pylons (2 na ponta das asas, 6-8 sob as asas, 6-4 sob a fuselagem)
* Mísseis ar-ar possíveis: R-77, R-77PD, R-73, K-74
* Bombas/mísseis ar-terra possíveis: X-29T, X-29L, X-59M, X-31P, X-31A, KAB-500, KAB-1500


Categories: ,

2 comentários:

de onde vc pego esse testo?

Opa desculpe a Demora, mas provavelmente Wikipédia, estes textos mais técnicos pego de lá. Grande Abraço

Postar um comentário